Instituto Pedro Nunes
IPN     IPN Incubadora
3ª edição da Coimbra Space Summer School: negócios do espaço para a Terra
Geral
Incubadora
Transf. Tecnologia e PI
 
 A Coimbra Space Summer School lançou o desafio: estimular ideias de negócio que tragam tecnologia do Espaço para o dia-a-dia da Terra. Muitas foram as pessoas que responderam ao mesmo.

O
Observatório Geofísico e Astronómico da Universidade de Coimbra acolheu dois dias plenos de actividades, tais como Sessões Espaço e Sessões Business (entre as quais conhecimentos gerais sobre o espaço, aplicações de sucesso de tecnologia espacial no nosso quotidiano, earth observation, recolha de dados e satélites). Nestas sessões os participantes aprenderam sobre as duas vertentes e como relacioná-las. Durante os dois dias, os participantes ouviram especialista da área sobre o tema espaço e suas aplicações na terra, com destaque para as talks “o espaço e uso de tecnologias na terra" (Rui Silva, Universidade de Coimbra), “Os cubesats e a evolução que estão a provocar" (Gonçalo Lopes, D-Orbit) e “Dados de observação da terra, informação para todos"  (Pedro Caridade, Space Layer). Tanto a D-Orbit como a Space layer são startups do ESA BIC Portugal. A iniciativa contou com 25 participantes das mais diversas áreas (engenharias, medicina, farmácia, gestão, física, engenharia aeronáutica, direito e matemática).



O pico do primeiro dia foi a palestra “Como Ser Astronauta”, do cosmonauta Mikhail Kornienk. O auditório do Departamento de Física foi pequeno para acolher todos aqueles que quiseram o ouvir. Mikhail Kornienk recordou, em Coimbra, os seus 516 dias no espaço (dos quais 340 seguidos, a segunda maior estadia de um ser humano no espaço).
Houve perguntas para todos os gostos: Como é que os astronautas tomam banho? Como é que come? Porque é que tem dois relógios? O que é que fazem o dia todo na estação espacial? De que é que sentiu mais saudades? O cosmonauta respondeu a todas as questões sempre com um toque de humor.



Ao longo de duas horas, o cosmonauta falou do dia-a-dia no espaço e perspetivou o futuro: há que reunir condições para avançar para Marte. Para Kornienko a conquista de Marte e a sua colonização é possível e urgente, à medida que os humanos destroem o planeta Terra. O cosmonauta russo mostrou-se ainda confiante sobre a possibilidade de, no futuro, haver colónias de seres humanos noutros planetas. Alertou também para a destruição eminente do nosso planeta, apelando aos jovens mudem as suas atitudes para defenderem o planeta.



Ainda durante o primeiro dia houve tempo para uma actividade diferente, uma sessão de observação nocturna, durante a qual os participantes tiveram a oportunidade de ver astros como Saturno, Júpiter, estrelas duplas e enxames de estrelas.
Foram lançados vários desafios aos participantes, que se reuniram em equipas para os resolver. Já no segundo dia, coube às equipas fazer uma apresentação final dos projectos de resolução dos desafios à comunidade científica e de negócio. O prémio do júri foi atribuído à equipa SPACEWAY, que apresentou uma solução para baixar o custo das comunicações baseada em cubesats, um tipo de satélite miniaturizado (um cubo de 10 cm) que está a revolucionar e democratizar o acesso ao espaço.
Fechou-se o dia com uma Febrada Astronómica, na qual, já num ambiente mais descontraído, se deu por findada a Coimbra Space Summer School, tendo-se ainda atribuído os prémios à equipa vencedora, um drone por participante.




A Coimbra Space Summer School foi organizada pela Incubadora de Empresas da Agência Espacial Europeia em Portugal (
ESA BIC Portugal
), sediada no IPN, e pelo Observatório Geofísico e Astronómico da Universidade de Coimbra.

Data

19 de Julho de 2017