Instituto Pedro Nunes
IPN     IPN Incubadora
Abtrace recebe 2 milhões de euros para combater a resistência a antibióticos
Aceleradora
Incubadora
Notas de Imprensa
 
Estima-se que até 2050 a resistência antimicrobiana causará cerca de 10 milhões de mortes. Um terço das prescrições de antibióticos são desnecessárias ou inadequadas. Empresa de Coimbra vai desenvolver novas ferramentas para combater uma das mais graves ameaças à saúde mundial.

A Abtrace acaba de ser premiada com dois milhões de euros de financiamento e um programa de incubação no Instituto Pedro Nunes pelo programa Wild Card 2018 da EIT Health, uma iniciativa do Instituto Europeu de Inovação e Tecnologia (EIT) que apoia ideias e projetos inovadores com potencial para transformar a saúde na Europa.

Nos próximos dois anos, este financiamento vai permitir à Abtrace desenvolver na incubadora do Instituto Pedro Nunes uma ferramenta para combater a resistência a antibióticos que combina Inteligência Artificial e Big Data para transformar as práticas de prescrição de antibióticos.

Hélder Soares, co-fundador da Abtrace e doutorando em Química Médica pela Universidade de Coimbra, explica que, “com o apoio da EIT Health e do Instituto Pedro Nunes, o objetivo da empresa é desenvolver novas ferramentas que diminuam o erro associados à prescrição de antibióticos, um dos factores mais críticos para a crise da resistência a antibióticos”.

“Estudando um conjunto alargado de registos clínicos, é possível encontrar novas formas de ajudar os médicos na altura de decidirem que antibiótico prescrever, selecionando o medicamento mais correcto para uma infecção específica", acrescenta.


Jan-Philipp Beck, CEO da EIT Health, realça que a Abtrace “identificou uma séria necessidade na saúde mundial. A resistência a antibióticos é uma grave ameaça que afeta milhões de pessoas”. Por isso, “estamos muito satisfeitos e orgulhosos em apoiar o trabalho desta equipa e ansiosos por ver os resultados das suas ideias e o seu impacto na saúde”.

A resistência a antibióticos é uma das mais graves ameaças à saúde mundial. Segundo a Organização Mundial de Saúde, estima-se que até 2050 mais pessoas venham a morrer por infecções causadas por organismos multirresistentes do que por doenças oncológicas. A principal causa é o uso excessivo de antibióticos.

Todos os antibióticos correm o risco de desenvolver resistência. Contudo, estima-se que um terço das prescrições são desnecessárias ou inadequadas. A escolha correta de um antibiótico oferece um triplo benefício: melhor tratamento do paciente, menos gastos no consumo de antibióticos inadequados e, por fim, redução da sua resistência, selecionando o medicamento mais apropriado para a resolução do problema.
 

Data

26 de Novembro de 2018